Vespa-da-madeira (Sirex noctilio)

09 out

Vespa-da-madeira (Sirex noctilio)

Artigos By No Response

Uma das principais pragas presentes nos plantios florestais de Pinus spp, é a vespa-da-madeira (Sirex noctilio). A vespa-da-madeira, inseto originário da Europa, Ásia e Norte da África, entrou no Brasil em 1988, e desde então vem trazendo grandes prejuízos ao setor madeireiro do país. Atualmente está presente em aproximadamente um milhão de hectares de pinus, em diferentes níveis de ataque.

A susceptibilidade ao ataque e presença da Sirex noctilio está diretamente ligada à condição de estresse da planta, situação relacionada a uma série de fatores como a densidade do plantio, sítio, fertilidade, deficit hídrico, manejo florestal inadequado, incêndios, entre outros.

O ataque do inseto aumenta os níveis de estresse nas árvores devido a introdução de um muco fitotóxico e esporos do fungo simbionte patogênico (Amylostereum areolatum) durante a oviposição. Este fungo patogênico, que é também uma fonte de nutrientes para as larvas da vespa, seca a madeira e causa a podridão. Outros danos provocados pela presença da vespa-da-madeira podem ser relacionados como:

  • Galerias;
  • Podridão Branca;
  • Azulamento;
  • Morte.

As iniciativas para o controle desta praga, no Brasil, foram tomadas pela Embrapa Florestas, com estudos bioecológicos desse inseto. Em 1990, em parceria com empresas do setor florestal, trouxe para o Brasil um nematóide (Deladenus siricidicola) para ajudar no controle da vespa. Este microorganismo ataca as larvas da vespa dentro do tronco das árvores e as larvas atacadas se transformam em vespas adultas estéreis, que fazem também a postura de ovos contendo centenas de nematóides. Dessa forma, o nematóide se dissemina de árvore em árvore e passa a atacar outras larvas da vespa-da-madeira.

As medidas preventivas para o controle da vespa consistem no manejo adequado da floresta, principalmente a realização de desbastes, eliminação de possíveis focos, secagem da madeira após o corte e também na fiscalização do transporte. Utilizando corretamente as medidas de prevenção e controle existentes, é possível reduzir as perdas em pelo menos 70% e manter a praga sob controle.

No que diz respeito as medidas de detecção e controle, destaca-se a instalação de árvores armadilhas, que são obtidas através do estresse físico provocado intencionalmente nas árvores sadias, ou pela aplicação de um herbicida, tornando-as atrativas ao inseto. Isso facilita a detecção precoce da praga, auxiliando na tomada de medidas rápidas como a liberação de inimigos naturais.

A Index Florestal, empresa do Grupo Index, atua no gerenciamento de ativos florestais, com equipe técnica formada por profissionais capacitados para o controle e monitoramento da vespa-da-madeira. Desenvolve trabalhos com pequenos e grandes produtores de madeira utilizando-se rigorosamente técnicas adequadas de manejo florestal que são fundamentais para prevenir danos econômicos provocados pela praga.


0 Comentarios

Você gostaria de participar da discussão? Sinta-se livre para contribuir!

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Emissões de GEE diag… 9 de outubro de 2019 emissoes-de-gee geoestatistica A Geoestatística apl… 9 de outubro de 2019