Vespa-da-madeira (Sirex noctilio)

17 jan

Vespa-da-madeira (Sirex noctilio)

Artigos, Todos By No Response

Uma das principais pragas presentes nos plantios florestais de Pinus spp, é a vespa-da-madeira (Sirex noctilio). Este inseto originário da Europa, Ásia e Norte da África entrou no Brasil em 1988, e desde então causa grandes prejuízos ao setor madeireiro do país. Atualmente está presente em aproximadamente um milhão de hectares de pinus, em diferentes níveis de ataque.

A susceptibilidade ao ataque e presença da Sirex Noctilio está diretamente ligada à condição de estresse da planta, situação relacionada a uma série de fatores como a densidade do plantio, sítio, fertilidade, deficit hídrico, manejo florestal inadequado, incêndios, entre outros.

O dano causado às árvores é relacionado diretamente a oviposição da vespa-da-madeira. Após o período inicial de voo, as fêmeas da espécie perfuram o tronco criando até quatro galerias na árvore, depositando aproximadamente 400 ovos. Durante esse processo, as vespas introduzem uma secreção mucosa que tem efeitos tóxicos sobre o Pinus, além de esporos do fungo simbionte “Amylostereum areolatum“, fonte nutritiva para as larvas da praga que é responsável pela podridão na madeira. A oviposição também deixa a árvore exposta a agentes secundários que podem causar diversos danos por meio das galerias, como a podridão branca, o azulamento, aumento de estresse, entre outros.

Os sintomas de ataque começam a aparecer entre novembro e dezembro, mas são mais visíveis a partir do mês de março, período após a revoada. É possível identificar alguns traços como copas que ficam mais amareladas para depois se tornarem marrom-avermelhadas, enfraquecimento da folhagem, resinas na casca da árvore devido a perfuração, entre outros.

As iniciativas para o controle desta praga no Brasil foram tomadas pela Embrapa Florestas, com estudos bioecológicos desse inseto. Em 1990, em parceria com empresas do setor florestal, trouxe para o Brasil um nematoide (Deladenus siricidicola) para ajudar no controle da vespa. Este micro-organismo ataca as larvas da vespa dentro do tronco das árvores, e as larvas atacadas se transformam em vespas adultas estéreis, que fazem também a postura de ovos contendo centenas de nematoides. Dessa forma, o nematoide se dissemina de árvore em árvore e passa a atacar outras larvas da vespa-da-madeira.

As medidas preventivas para o controle da vespa consistem no manejo adequado da floresta, principalmente a realização de desbastes, eliminação de possíveis focos, secagem da madeira após o corte e também na fiscalização do transporte. Utilizando corretamente as medidas de prevenção e controle existentes, é possível reduzir as perdas em pelo menos 70% e manter a praga sob controle.

No que diz respeito as medidas de detecção e controle, destaca-se a instalação de árvores armadilhas, que são obtidas através do estresse físico provocado intencionalmente nas árvores sadias, ou pela aplicação de um herbicida, tornando-as atrativas ao inseto. Isso facilita a detecção precoce da praga, auxiliando na tomada de medidas rápidas como a liberação de inimigos naturais.

A Index Florestal, empresa do Grupo Index, atua no gerenciamento de ativos florestais com equipe técnica formada por profissionais capacitados para o controle e monitoramento da vespa-da-madeira, desenvolvendo trabalhos com pequenos e grandes produtores de madeira utilizando técnicas adequadas de manejo florestal rigorosamente, que são fundamentais para prevenir danos econômicos provocados pela praga.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Janeiro Verde 15 de janeiro de 2020 Uruguai, o Eldorado V… 22 de janeiro de 2020